segunda-feira, 23 de novembro de 2009

COLECIONADOR DE PEDRAS

.
.
Barbie
.

Patrícia nasceu
Num desses casebres
Que se equilibram em barrancos.
Família pequena
Só a mãe, dona Odete
E o pai, seu Antônio.
O sonho de pati
Era ter uma boneca,
Mas não uma qualquer
Na verdade uma Barbie.
Sempre quis uma filha
Para brincar de casinha.
Mas a boneca
Que na tv ela via
Não fazia parte da sua família.
Mamãe,
Com varizes e estrias,
Andava o dia inteiro
Com saco de lixeiro
À procura de latinha.
Papai,
Para ajudar na comidinha,
Catava papel
E não tinha dinheiro
Para comprar a bonequinha.
Noel,
O da barba branquinha,
Voava o mundo inteiro,
Mas não lhe fazia uma visitinha.
Aos treze
Romperam-lhe o hímen
Não de mentirinha,
Mas de forma bruta
Sem fazer cosquinha.
Agora
Tem uma linda menininha
Com quem pode morar
E brincar de casinha.
.
Sérgio Vaz

4 comentários:

  1. Aê Sérgio!

    Simplesmente o lirismo social que eu venero!
    A realidade em poesia!
    Um abraço, parabéns pelo ótimo trabalho, e, como admirador, divulgo um blog de alunos de uma escola da zona sul, admiradores seus também, poetas e batalhadores!

    revolucaoeducacional.blogspot.com

    Um dia, eu ainda vou na cooperifa respirar poesia!
    Um abraço do pessoal do Grajaú, Varginha e Parelheiros!

    ResponderExcluir
  2. Esse é um dos poemas de que mais gostam os meus educandos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, Sérgio Vaz.
    Na escola que leciono trabalhamos com 8º e 7ºanos as poesias do livro Colecionar de Pedras.
    Atualmente, os alunos estão trabalhando com a poesia Fotografia.Estão adorando, pq. nas oficinas a proposta é eles montarem com uma lata uma câmera de fotografia. Veremos como irá evoluir esta tarefa.
    Novamente, nossas felicitações pelo seu excelente trabalho literário e pelo seu envolvimento com as crianças e adolescentes.
    Um abraço da profª Sara Beltrame

    ResponderExcluir